Hugo Dunkel

Já em Lisboa comecei a escrever o texto para enviar sobre a minha experiência na quinta da mizarela, porém, como já previam os moradores muitas coisas acontecem que nos distanciam de o fazer, e agora já no porto e depois de ter um grande texto escrito, decidi escrevê-lo de novo pois as experiências que acontecem depois da experiência alteram bastante a forma como vemos e sentimos a primeira. Hoje numa de procrastinação, faço desenhos e leio e vejo coisas, fui inundado pelo que o Devendra Banhart disse no documentário Eternal Child: “Human beings absolutely love and are addicted , whether they know or not, to those states of being where time dissolves, doesn’t exist.”

Nos primeiros dias que lá estive tinha como ideia chegar ao fim do turno e logo me retirar para ler ou desfrutar da paisagem, acontece que rapidamente me vi a absorvido pela vivência que o Pete a Cynthia, a Mim, o Adam o Glen e a Laura partilhavam. Um intenso viver aqui e agora que me permitiu usufruir de uma forma de viver comunitária com a partilha não só de conhecimentos mas muito mais de vivência s e sentimentos.

Reflicto como fomos (fui) desenvolvido numa sociedade da informação e do stress e o quão bom foi ver os meus dias na quinta preenchidos com actividades que apenas envolviam o estar e viver o sitio e as pessoas com quem estamos.

Muitas vezes com a Cynthia sentia uma enorme vontade por parte dela de perceber o que urgia da minha pessoa, qual seria a mudança que estar ali trazia em mim, e é neste sentido que venho a compreender que nós somos constante descoberta e mudança e que só temos de aceitar isso e nos deixarmos absorver pelas coisas, agora já não acredito tanto em momentos de epifania existenciais ou do esclarecimentos repentinos, mas sim que a vida se vive vivendo. Valorizo no entanto o sentimento de libertação que se faz sentir por parte das pessoas que aqui vivem.

E é neste sentido, para além da resiliência, que a meditação tem um valor mais profundo do que a prática, como união. Nos primeiros dias em que estive na quinta, e sem ser praticante assíduo de meditação, me senti constantemente em fuga de mim mesmo, porém só o facto de saber que estava a partilhar um momento a que outros dão tanto valor me fez sentir muito uno com o momento. O mesmo com os dias de silêncio, apesar de sentir que a carga horária era muito intensa nestas quartas. Senti falta de tempo para a contemplação já que toda a experiência do dia com a meditação e trabalho são muito forte. Porém o silêncio proporciona uma experiência e um convívio connosco e com os outros e com os pensamentos que não temos quando nos deixamos guiar pelo mundo das palavras.

Post new comment





Subscreva a nossa newsletter

Sobre o projecto

The Awakened Life Project is situated in a beautiful and wild ecological reserve in the mountains Central Portugal. We offer volunteer programs, courses, events and retreats to support the liberation of the human spirit in a context of evolutionary emergence and communion with the ecological web of life.

Contactos

Quinta da Mizarela
3305-031 Benfeita
Portugal

info@awakenedlifeproject.org
Facebook Page
Twitter
Youtube Channel

Subscreva a nossa newsletter